sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Cícero Pacheco

Estava certo dia no armazém do Oriel, nos idos de 70. Batendo um papo todo dia, Cicero Pacheco, Major Nestor, Oriel, Dr. Humberto (Promotor de Justiça) e outros mais, que estavam comentando o que fariam se ganhassem na Loteca, a Loteria Esportiva, que era o sucesso da época. Um dizia que ia comprar uma fazenda, outro dizia que compraria apartamentos que, inclusive os jogos marcados aqui, com o nosso querido saudoso Tãozinho Carcereiro, que os levava para serem feitos nas lojas oficiais no Rio de Janeiro - imaginem como era dificil e como o jogo é tentador - quando cheguei e o Oriel foi logo dizendo: vamos ver se o Marco nos diz o que faria se ganhasse na loteria esportiva. Resposta no ato: darei todo o dinheiro para o papai. Este foi logo perguntando porque eu lhe daria o dinheiro, se gostava tanto assim dele, no que disse, que sim. Gostava dele demais, mas o gostoso não é ser rico e sim filho de rico. Certo ou não?

2 comentários:

Ana Maria disse...

Marco Túlio...
E hoje...
Podemos dizer que tiramos a sorte grande, eu e você juntos?

PAULÃO disse...

Marcos,
tenho boas lembranças de seu pai na casa do Joaquim, meu tio, em Manhumirim,tamborilando os dedos na mesa enquanto o Ninico tocava violão e o Velhinho bebericava algumas com meu tio,em seus aniversários.